segunda-feira, 24 de abril de 2017

Adaptação escolar...

Olá pessoas queridas...

A Catarina foi para a escola com 1 ano e 7 meses. A adaptação dela na escola seria por uma semana, mas no terceiro dia de adaptação ela já estava super bem. Desde do primeiro dia ela ficou o período todo. Isso na primeira vez que ela foi para a escola. E foi super bem até as férias do final de ano.

Aí a Victória nasceu e ela ficou com a gente de dezembro até fevereiro. Quando voltou essa segunda vez para a escola, foi bem difícil. Ela chorava para ir todos os dias, chegava na porta da escola e ficava chamando a gente. Foram três longas semanas nisso. Tinha dia, confesso que dava muito aperto no coração, mas não desistimos. Foi aí que a professora dela conquistou ela, e tudo foi ótimo até o final do ano. Bendita professora, tenho um carinho muito grande por ela.

No final do ano resolvemos mudar ela de escola. A adaptação dessa vez iria ser um pouco mais complicada: escola nova, volta das férias, e tudo mais.
Quando mudamos ela de escola resolvemos ir antes de começar a escola mostra para ela. Fomos animados e ela adorou a escola. Ponto positivo!
Fomos juntas comprar os uniformes e escolher a caneca que ela tinha que levar. Fizemos sempre bem empolgados pra ela não sentir muita mudança (além das que já existiam).

Aí chegou o grande dia. No primeiro dia de aula teve uma apresentação e fiquei com ela na escola, depois ela ficou por um período só. A primeira e a segunda semana eram menos horas que as crianças ficavam até irem se acostumando. Nas primeiras semanas ela foi super bem, não chorou nenhum dia.
Mas aí a hora que começou mesmo o período todo tivemos dificuldade. No carro indo para a escola ela já falava que não ia.
Foi aí que descobri como ela se comporta a situações novas. Nos primeiro dias em qualquer coisa noa dela ela aceita super bem e vai super feliz. Mas quando ela percebe que aquilo vai virar rotina e não tem como fugir ela começa a se revoltar.
Por incrível que pareça ela "puxou" isso de mim.
Mas depois que ela percebe que mesmo se revoltando aquilo na vida dela vai permanecer ela aceita.

Como agora já sei como ela vai lidar as situações novas já sei como ajudá-la.

A experiência da Victória na escola ainda não tivemos, assim que ela entrar conta pra vocês!

Beijinhos....
Mãe das nenis...

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Queda de cabelo no pós parto...

Olá pessoas queridas...

Quando fiquei grávida da Catarina fiquei com o cabelo lindo, sempre tive pouco cabelo, mas na gestação fiquei com muito cabelo, mais liso do que já era, ficou mais forte e brilhante.
Logo depois do parto, uns 3 ou 4 meses depois, mais ou menos, ele começou a cair. Cair não, despencar, a ponto de eu olhar para o chão e ter a impressão de que iria ficar careca.

Não há muito que se possa fazer para manter os cabelos lindos como na gravidez e nem para evitar a queda depois. O que faz os fios mudarem tanto são os hormônios da gestação, principalmente a progesterona.
Enquanto no dia a dia uma pessoa perde cerca de 100 fios de cabelo por dia, na fase pós-parto esse número aumenta cinco vezes. Isso mesmo, você pode perder 500 fios!

Leva um tempo para tudo voltar ao normal, os especialistas dizem que isso deve ocorrer entre três e seis meses após o parto. Embora não dê para controlar, algumas coisas podem amenizar a queda, como manter uma alimentação balanceada, manter os cabelos bem cuidados e evitar fazer tratamentos químicos.

Depois que tive a Catarina resolvi tomar o Pantogar, na época ele funcionou muito bem, ajudou no crescimento e na queda. Já quando tive a Victória, resolvi tomar o mesmo, mas descobri que tinha ele manipulado que saia bem mais barato, aí comecei a tomar. Depois descobri com a dermatologista que ele manipulado aumentava o apetite, descobri poque estava com tanta fome e nessa ganhei cabelos e quilos extras. Mudei de remédio, experimentei o INEOV e o IMECAP hair, para mim o que eu achei que fez mais efeito foi INEOV. Mas nenhum ajudou no crescimento e somente na queda.

A queda de cabelos pós-gravidez só se torna um problema sério mesmo caso não passe depois desses seis meses e caso você note falhas no couro cabeludo ou não consiga ver cabelos novos nascendo, ok?

Beijinhos....
Mãe das nenis....

terça-feira, 18 de abril de 2017

Dentes...

Olá pessoas queridas...

Sempre ouvi coisas horrendas sobre a fase de nascimento dos dentinhos: os bebês ficam chatos, irritados, não dormem direito, não querem comer.
Com a Catarina, os dentes demoraram bastante para aparecer por volta dos 11 meses por aí, mas ela sempre teve febre e soltava o intestino. Já com a Victória, nasceu um pouco mais cedo, uns 7 meses, mas também ficou só nos dois primeiros por bastante tempo, ela não teve febre, mas não comia e soltava o intestino também.

Todos os dentes que nasceram delas sempre foi com esses sintomas. Nenhum dente foi "melhor" ou "pior" que o outro, sempre desse mesmo jeito.
O nascimento dos dentes pode sim causar muito transtorno em uma casa. A grande maioria das crianças tem o primeiro dentinho aos 6 ou 7 meses de idade. Os últimos dentes costumam já ter nascido no segundo ano de vida. Com 3 anos, seu filho deve ter o conjunto completo: 20 dentes-de-leite.

Algumas dicas para amenizar o desconforto:
- Dar mordedores, se forem gelados melhor ainda (aqui em casa elas até pegavam, mas não era o objeto de desejo)
- Alimentos frios
- Massagem feita com uma dedeira de silicone (escova de silicone - aqui em casa elas adoram e sempre dava certo, inclusive elas mesmas pegavam e ficavam mordendo)
- Pomada nenê dente (aqui em casa também dava certo, mas tinha que passar muitas vezes seguidas)

Mais uma vez reforço a ideia de sempre descobrir o jeito do seu filho, isso é melhor do que qualquer teoria. Sempre com bom senso, claro!

Beijinhos...
Mãe das nenis....

segunda-feira, 17 de abril de 2017

A CHEGADA DE UM NOVO FILHO!

Os pais lidam com a chegada de um novo bebê de maneiras muito diversas, que incluem diferentes emoções e expectativas.
Mesmo sem terem sido informados da gravidez, a maioria das crianças percebe uma atmosfera e preocupação e toda a alteração no foco de interesse dos pais. Aqui em casa quem percebeu primeiro a minha segunda gravidez foi a própria Catarina, do jeito dela, ela não queria sequer desgrudar da minha barriga, literalmente.

Saiba que o irmão mais velho não compreenderá plenamente o que significa esse novo bebê na família, muito menos o fato de ter que compartilhar o seu afeto com o novo irmãozinho, eu diria que isso começa a ser percebido quando o bebê começa a fazer suas primeiras conquistas/gracinhas, aí começa a disputa de atenção.
Isto torna algumas crianças apreensivas e mal humoradas, tentando reverter seu comportamento à época em que era bebê e/ou apresentando um comportamento difícil.

As preparações relativas aos cuidados com seu filho mais velho no momento em que o novo bebê vai nascer são essenciais. A maneira pela qual nos sentimos em relação a nossos irmãos é um fio condutor poderoso que nos acompanha por nossa vida e que pode, facilmente, vir à tona em diferentes momentos.

Para muitas crianças - e não importa todo o cuidado dos pais em prepará-las para esse acontecimento - um novo irmãozinho fica sendo para sempre um choque. Aqui em casa decidimos agir naturalmente, não ficar forçando a barra para nenhum lado. Falei para meu marido, se ficarmos reforçando o comportamento de "coitadinha a Catarina perdeu o trono" não ia ser saudável. Porque na verdade ela não perdeu nada, explicava para ela. Sempre falei para ela, a mamãe tem dois braços para segurar as duas. Tentava fazer ela participar de todas as situações.

Quando a Victória veio para casa demos um presente para a Catarina falando que a Victória que tinha trazido. Não foi um mar de rosas sempre, teve fases difíceis e ainda tem, mas sempre tentamos reforçar as duas o amor delas. A Victória como a maioria dos irmão mais novos idolatra a Catarina. É um grude só.

Os mais velhos começam a se sentirem inseguros, achando que não são mais amados. O importante é reforçar essa segurança neles.  Com frequência a resposta dos pais a um mau comportamento confirma o pior sentimento que as crianças tem - o de que foram substituídas pelo novo irmãozinho e deixaram de ser amadas.

A mensagem que você precisa fazer seu filho entender é a de que ele não é "mau" por sentir-se assim, que você compreende que ele está passando por um momento difícil e que os sentimentos que ele tem fazem com que se sinta ainda pior.
Console-se com o fato de que seu filho confia tanto no seu amor a ponto de testá-lo até o limite e mostrar para você toda a confusão pela qual está passando.

Escute o mais velho! Ouça o que ele tem a dizer. Procure descobrir o que ele quer, quais são as suas necessidades e desejos. Às vezes, uma simples mudança na sua atitude fará toda a diferença.

Mil beijinhos....
Mãe das nenis....






quinta-feira, 13 de abril de 2017

Cuidando de Você!

Olá pessoas queridas....

Quando um bebê nasce, a dedicação é completa. Mas depois dessa correria insana dos primeiros dias, quando é que nós, mães, voltamos a pensar em nós, a nos cuidar, a fazer coisas simples e básicas, necessárias e que nos dão prazer?

Isso depende muito. Algumas mães, uma semana depois que o filhote nasceu, já estão fazendo as unhas e dando um trato mínimo no visual, já outras como eu podem levar quase dois anos para retornar um POUCO da antiga vida.

Eu sempre fui independente, sempre fui ativa, sempre gostei de me cuidar e de me agradar. E onde foi parar essa eu por alguns anos? Ela ficou escondida, ofuscada por uma Mirella mãe que se bastava, porque essa entrega completa também é prazerosa.

O que quero dizer é que uma hora você vai sentir vontade, necessidade, de cuidar de você mesma de novo. Se antes de você sentir isso e alguém lhe falar isso, você irá se sentir mortalmente ferida, mas na hora que você perceber essa necessidade de verdade, vai mover montanhas para fazer as coisas acontecerem.

O importante é cada uma achar seu tempo, a sua necessidade. Mas é VOCÊ que tem que decidir isso.

Quando tive a Catarina demorei muito tempo para conseguir deixar ela com alguém para fazer qualquer coisa que fosse, até mesmo sair com o marido. Depois de um ano decidimos (eu e meu marido) que deveríamos voltar a nos curtir. Começamos a sair um pouco....acho que a experiência foi tão boa que veio a Victória.....kkkk

Com a Victória, como eu já deixava a Catarina com mais facilidade pois estava mais velha, com ela foi mais fácil. Mas sempre que deixa elas eu ficava querendo fazer o que tinha que fazer correndo para voltar logo. Eu digo fazer as coisas para mim, não para trabalhar, porque esse eu achei que ia ser ais difícil mas consegui voltar de boa. Sempre trabalhei meio período depois que a Catarina nasceu.
Hoje consigo deixar elas com um pouco mais de facilidade, estou me desprendendo aos poucos e sentindo um pouco menos culpada (a maldita culpa que persegue as mães).

Eu percebi como tenho que fazer para não me ferir tanto, eu tenho que ir aos poucos, no meu tempo. Aliás acho que todas devemos fazer dessa forma. Enfim, comecei um pouco em alguns dias durante o dia, estou tentando alguns dias a noite, e assim vamos seguindo.

Nós merecemos e nossos filhos e companheiros também merecem ter mães completas.

Beijinhos....
Mãe das nenis...

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Picos de Crescimento!

Oi pessoas queridas....

Seu filho está tendo uma piora no comportamento ou uma recaída?

Saiba que isso pode fazer parte do Salto de Desenvolvimento, estão crescendo, explorando, testando sem parar.
A personalidade dele não mudou, ele está apenas em um salto de desenvolvimento, nesses saltos que duram algumas semanas, dependendo do bebê/criança.

Os picos continuam acontecendo no decorrer do crescimento da criança, incluindo a adolescência, momento em que mudanças físicas e emocionais são mais notáveis.

A melhor maneira de lidar com essas mudanças repentinas é não dar muita importância a elas, pode piorar porque eles se irritam com mais facilidade, ficam mais sensíveis, devemos dar apoio em seus momentos positivos e ajudá-los a se encontrar emocionalmente.
Eles precisam se sentir seguros para se estabilizarem emocionalmente.

Em casa percebo que as meninas estão passando por alguma transição quando o sono delas se alteram, seja soneca ou dormir de noite. Quando percebo alguma mudança nesse sentido logo sei que estão passando por algum salto.

E vocês, como percebem nos seus filhos?

Conta para nós....

Beijinhos...
Mãe das nenis...

terça-feira, 11 de abril de 2017

AMAMENTAÇÃO

Olá pessoas queridas...

Sempre sonhei em amamentar e posso dizer que amo por demais!
Quando a Catarina nasceu eu achava que era só colocar no peito e pronto. Mas não é bem assim, mesmo tendo feito "n" cursos, visto "n" técnicas, não foi assim tão fácil.
Ela pegou, mas tinha momentos que ela só queria dormir. Quando "forçávamos" ela a mamar, ou ela dormia no peito, ou doía porque eu não estava relaxada. Eu estava tão preocupada em dar certo que não curtia, até que uma enfermeira no hospital ainda veio encostou no meu ombro e disse "relaxa mãe", aí tudo começou a fluir.

Teve dores depois? Sim, mas sempre firme e forte...
Ela teve uma fase que só queria mamar um peito, por mais que insistisse no outro, ela só queria um, falei então assim vai ser, mas não desisti.

Quando a Victória nasceu eu pensei agora tô craque....Que nada, tomei na cara!
A diferença é que assim que ela nasceu ela já veio pro peito. Mamou que nem uma esfomeada.... e assim foi até hoje....
No hospital mesmo a danada me deu uma mordida que sangrou, mas não desisti também, fomos firmes e fortes!
Ela não teve manias...

As duas sempre mamaram em poucos minutos, mas muitas vezes durante o dia.
Para mim a amamentação é a coisa mais linda do mundo, é um momento seu com o seu filho que nada substitui. É maravilhoso, sou super a favor e acredito muito que a amamentação ajuda muito na imunidade do bebê.

É um sentimento de plenitude poder ver seu filho se desenvolver, crescer e engordar com o seu alimento, mas se não for dessa forma, o seu amor vai continuar fazendo todo esse trabalho pode ter certeza.
O vínculo não está só nesse momento, mas si em todos que vivemos verdadeiramente!

Quanto as cólicas, a Catarina só teve algumas bem pontuais, que descobri que era quando eu tomava o suco de Manga.
E a Victória mesmo com toda a dieta que sempre fiz, ela tinha todas as noites até completar os três meses.
Na dieta que eu fazia eu não comia chocolate, feijão, leite, café, manga e tudo que desse gases. Mas uma é diferente da outra e apesar da dieta igual, uma teve e outra não.

A pediatra sempre me aconselhou com as duas a fazer a livre demanda, mas eu nunca segui tão a risca. Nas duas que sempre dei livre demanda durante o dia, mas a noite não. Todos precisamos dormir, principalmente quando estamos amamentando, pois a produção de leite é maior quando estamos dormindo. Enfim, com a Catarina acordava ela de três em três horas, eu mãe de primeira viagem achava que tinha que ser assim. Mas na Victória segui o conselho da minha mãe (se a criança tiver fome ela vai chorar), e assim foi, só dava a noite quando ela acordava.

Sobre o desmame eu achei que na Catarina ia ser mais difícil. Eu tinha pavor em pensar que a criança estaria andando e mamando no peito, então decidi que ela iria mamar até um ano. Quando estava chegando perto de completar, como achei que poderia demorar o desmame comecei a fazer com 10 meses. Fui tirando uma mamada por vez, nada brusco e repentino. E a bichinha em uma semana já tava mamando na mamadeira sozinha e desmamada completa com 11 meses.
Já a Victória paguei a língua. Ela já está com 1 ano e 3 meses e ainda mama.
Estou desmamando da mesma forma aos poucos, mas a menina é decidida. Quando quer a mamadeira vai tranquilo, mas quando não quer.....E às vezes vai na mamadeira e no peito....kkkk

O importante de tudo isso é sempre achar o jeito de vocês, se encaixar com o jeito do seu filho e nada mais. Teorias e experiências ajudam mas nada é mais importante do que vocês sentirem.
A intuição de uma mãe é maior do que tudo.

Beijinhos...

Mãe das nenis...

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Minhas Meninas X Minhas Experiências

Catarina X Victória
Cabelo ondulado X Cabelo Liso
Cara do Papai X Cara da mamãe
Personalidade da mamãe X Personalidade do Papai
Comilona (Magali) X Somente o necessário (uma semana)
Desmame rápido e fácil X To tentando ainda (kkkk)
Ama boneca X Ama brinquedos de encaixe
Turma da Mônica X Galinha Pintadinha
Ama chocolate X Ama alho poró
Quando bb acima do peso X Na média
Tranquila X Agitada
Fácil em adaptação X Demora mais
Grudada na Mãe X Grudada na mãe e no pai
AS DUAS MUITO DESEJADAS, TÃO DIFERENTES E AO MESMO TEMPO TÃO IGUAIS!