terça-feira, 18 de outubro de 2016

Mãe duas vezes

Oi pessoas queridas,

Hoje vou contar um pouco da minha história de ter duas meninas.
Quando me casei falava que queria ter quatro filhos, depois que tive a Catarina falava que queria ter três, e depois que tive a Victória resolvi que só queria duas.
Não é uma decisão final ainda, mas tudo tende para isso!
Ter duas meninas me preenche em todos os sentidos, eu sou muito completa com elas.
E antes que perguntem: não, meu marido não tem vontade de tentar um menino, ele também se sente completo com as meninas.
Ter dois filhos é uma delícia, mas não é fácil! É como ter um filho, só que mais intenso, em tudo.
A gente dá e recebe amor em dobro, mas as preocupações e o trabalho também aumenta.
O que muda muito quando se tem dois filhos é que a gente não tem folga. Quando é um dá para entregá-lo para o pai alguns minutinhos ou horas do dia e tomar um banho demorado, sair para um encontro com as amigas, fazer uma refeição com calma.
Mas quando se tem dois, cada um está com um.
Não é só o trabalho que aumenta, parece que a casa também se enche de amor.
Se com um filho a gente baba, com dois a gente se derrete mesmo.
É incrível ver o amor surgindo entre irmãos, o cuidado que o mais velho tem com o mais novo, o olhar de paixão e admiração que o mais novo já tem para o mais velho. Isso é muito gostoso!
Acho que uma casa com duas crianças é mais animada, mais viva, mais alegre.
E se o trabalho parece nos derrubar de vez em quando, vale a pena pensar no lado bom dessa experiência e recarregar nosssas energias através do amor que a gente experimenta em dobro.

E vocês como é a experiência por aí?

Beijinhos...
Mãe das nenis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo!
Sua presença é fundamental para o sucesso deste blog.
Agradeço pelo seu comentário!